segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Hoje vou fazar uma coisa que desde os tempos Eloá eu não faço: Análise da cobertura da imprensa de algum caso.
O tema agendado pela mídia dessa vez é o desastre natural no estado de Santa Catarina.

A Veja traz em sua capa o drama de uma menina de três anos que sofreu com os desabamentos no estado. A Época trouxe em sua edição possíveis causas para a catastofre. Dando corpo a uma tentativa de jornalismo interpretativo - aquele que tenta "traduzir" uma coisa complicada numa coisa mais simples. A segunda revista atribui as causas dos acidentes à intervenção humana na natureza, seja desmatando, seja construindo casas em locais perigosos. A Veja deu mais enfoque em histórias pessoais - coisa normal de se fazer numa revista como ela, enfoca em histórias pessoas, ataca o governo, espetaculariza ao máximo para vender mais.

Saindo do jornalismo impresso e indo para o meio televisivo, ao meu ver, existe uma construção social maior - na medida em que os jornais da TV aberta tentam ao máximo sensibilizar as pessoas a ajudarem as pessoas atingidas pelos desastres naturais. Isso falo nos verdadeiros jornais, porque Ana Maria Braga - como sempre - se sentiu no direito de também ser jornalista, mesmo não sendo, para ir para o estado de Santa Catarina, trajando roupa rajada de soldado, espetaculirazando a porra toda e fazendo de uma tragédia um espetáculo de clown. Eu bem me lembro no caso Eloá quando ela especulava que a garota estava bem, estava até sorrindo na janela do apartamento. Além é claro de Datena, com seus super-elogios e ataques histéricos a cada grão de terra movido.

Vamos ver até onde vai dar toda essa cobertura. Datena, Ana Maria Braga e a Rede Record continua na mesma linha de sempre - correndo atrás de mais IBOPE. A Globo, por incrível que apreça, está tentando ajudar com divulgações constantes dos casos de doações vindas de outros estados Brasil e colocando o número da conta para doações sempre no ar.

PS: Não riam dos escorregões dos jornalistas - é uma profissão árdua, difícil e mal remunerada! (muitos risos)

2 comentários:

Carlos disse...

coitada dela

Carlinha Sambista disse...

leio sempre a veja mas essa reportagem ainda não li..estava ocupada estudando por vestibular, mas essa semana eu leio..