sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Apenas Rotina


Lá estava eu no meio da ponte. O dia havia sido cruel, estressante, já sentia aquela dor de cabeça, a minha ida para o trabalho como todos os dias demorou duas horas. Seguia o caminho por meio de um GOL (Grande Ônibus Lotado). No caminho passei pela periferia; era um odor horrível, lá falta saneamento básico, as crianças brincavam naquela lama com o maior sorriso no rosto, mal sabem do risco que correm, apenas em um bairro acredito que pude observar de duas a três meninas grávidas tinham por volta de seus 14 anos. Lá as informações quase não chegam para que chegar também? Um povo sem educação é muito mais fácil de manipular. (Mas isso é um assunto para outro post)

Continuando a minha trajetória agora passava pelo centro, que barulho; era buzina de carros, motos, caminhões pesados, pessoas brigando e correndo, um rapaz gritando no microfone tentando ganhar cliente (se ele não conseguir no mínimo 15 por dia ele é despedido), sentia um calor, aquela fumaça dos carros me sufocava e o transito parado, andando na velocidade de uma formiga o ônibus tentava nos conduzir.

Que bom, já estou quase próximo do serviço só falta mais ou menos uns 45 minutos, lá quem sabe eu consiga me sentar por 15 minutos para descansar, mas pensando bem acho que não vai dar, o gerente já me disse que se eu continuar chegando atrasado serei despedido. Tentei explicar que moro longe, mas quem disse que ele se comoveu!

Agora já é noite; voltando do serviço decidi parar aqui no meio do caminho nessa ponte, apesar de saber que devo demorar mais uma hora para chegar a casa, mas tudo bem quem se importa? Daqui de cima é tudo tão lindo, aquela cidade iluminada e o rio aos meus pés, olhando para baixo sinto uma tontura, deve ser fome não comi, apenas engoli.

Ultrapassei o limite de segurança da ponte e cheguei próximo da beirada, quem nessa cidade respeita alguma coisa? É gente furando o sinal, estacionando na calçada, destruindo o patrimônio publico, sou apenas mais um no meio da multidão dessa metrópole

Vou me jogar! Já não agüento mais tudo isso que vida infernal, mas eu queria uma platéia então levantei e comecei a gritar que iria me jogar, fiquei surpreso apareceu apenas duas pessoas para olhar, o resto passavam e não paravam, talvez estivessem com muita pressa coisa comum nessa cidade.

Um menino chegou perto de mim com um celular e pergunto se poderia tirar uma foto, pois se eu pulasse ele poderia vender a foto para o jornal e faturar um trocado. Aquilo me deixou muito nervoso então apenas falei que ele poderia guardar o celular, a minha platéia era pouca...

Bom, quem se importa com que você está passando, se precisa de ajuda leia um daqueles livros com a “receita do sucesso”, “receita da felicidade” e por ai vai. Mas na real para nós seres comum e desprovido de riqueza seremos apenas uma formiguinha no meio da multidão.

Por Pedro Junior

34 comentários:

Lilian disse...

Dica de leitura...Textos ácidos e sarcásticos, pra quem quer ficar por dentro dos assuntos políticos e dos últimos acontecimentos de forma leve.


www.mosaicodelama.blogspot.com

Boa leitura!

Daniel disse...

Gostei desse seu post, muito bom mesmo e bem realista. A verdade é que não nos importamos muito com quem mal conhecemos, mas seus amigos, sua familia certamente se importam com você, com o que te acontece.

Um abraço!

http://daniel.a.s.zip.net

ohshittt disse...

hum...é triste, mta gente deve se sentir assim...

Cara Pálida disse...

Interessante e descritivo.
Parabéns pelo blog!

Carlos Eduardo disse...

Muito bom o texto!
O ser humano perdeu totalmente o seu valor e a consideração ao próximo. O que importa agora é comer o maior número de pessoas possíveis. Que pena..


http://putoanonimo.blogspot.com

Carioca disse...

gostei do seu post...meio shopenhauer... fiz um parecido talvez interesse...

--
http://raciocinioquebrado.blogspot.com/

Popoka disse...

Vixe muito massa mesmo,é real e muito interesante,hum... Nun me importo muito com os outros mesmo não, esta bom para mim,nun ligo para os outros XXD, Guerra me importo sim,mas aprti dos colegas =D

Kbabó disse...

Muito interessante, me identifiquei muito com ele pelo fato de acontecer isso comigo tbm: sermos considerados insignificantes perante ao mundo. Você escreve muito bem... parabens!!

Kbabó disse...

Nossa, me identifiquei muito com isto, pricipamente pelo fato de sermos excluidos perante ao mundo, muito bom... parabens

Trujillo disse...

Otimo texto. Vivemos em uma grande cidade. Temos que aprender a lidar com a indiferenca. Mas, se pensarmos, podemos fazer com que se torne uma vantagem. Uma arma, ferramenta. VAle a pena pensar sobre alternativas. A cidade nao ira mudar, mas nos podemos.
Abrcs

DAD disse...

parabéns pelo blog.

dita dura

Danton K disse...

vc escreve de um tema atual de uma maneira irônica. achei bacana

http://leiturasmusicais.blogspot.com/

Flavia disse...

mto legal o seu blog!!
texto incrivel..très touchant..
Parabéns pelo blog :)

abraços

RodrigO [OsBunitãO] disse...

Muito da hora!
Me identifiquei bastante com o texto!

Gran Magic Carmesin: Nat Valarini disse...

Boa tarde!

Menino, que texto forte, hein?

É uma bela e sagaz análise da vida moderna: como as pessoas não dão importancia para as coisas simples devirdo à correria da vida.

Você escreve muito bem

Leandro de Souza disse...

=) gostei parabens

http://eunodivan.blogspot.com/

Don Romero disse...

Gostei desse seu post, muito bom mesmo e bem realista.

The human who sold the world disse...

A periferia daqui de casa num fede nao.

Kacau disse...

pedro vc só pode estar brincando, se eu estivesse passando por lá juntava uma multidão e começava a gritar pula, pula kkkkkkkkkkkkkkkkk
e essa do GOL ai que vida de merda essa nossa viu


http://messnatural.blogspot.com/

vitor marques da silva disse...

texto muito bem estruturado
bem escrito tb
vlwwwwwwwwwww

HoneyBee disse...

A vida na cidade é assim, conturbada, agitada e impiedosa. Mas acho que já me acostumei.

toncomn disse...

realmente eu agradeço por não ter que conviver com uma situaçao dessa todos os dias, interior eh tudo mais simples mais da pra se sobreviver facilmente...

Prolixo Lacônico disse...

Legal o texto, um pouco viagem mesmo...

Laura Gelbecke disse...

cansei de grávidas adolescentes!

Antonoly disse...

Isso é o que eu chamo de um post do mundo real... gostei muito!

www.geracaoweb.wordpress.com

vitor marques da silva disse...

hehe que rotina em
xd
bom texto

TIAGÃO disse...

LEGAL , TEU POST, MAS ISSO REALMENTE ACONTECEU CONTIGO OU É SOMENTE UM TEXTO QUE VC INVENTOU?
PQ VC TA QUERENDO APARECER NA MULTIDÃO, SE NO MEIO DA MULTIDÃO VC PODE TER CERTEZA DE QUE LÁ DE CIMA TEM ALGUEM REPARANDO EM VOCE!
E MTO!

Felipe disse...

Realmente, a pessoa tem que ser extraordinária para ser notada em meio a tantos. Esse texto mostrou como é dificil se sobressair de muita gente.

http://centralldamusica.blogspot.com
Buscando parcerias...

greatdj disse...

Dudu,
meu e-mail é mateus.h@hotmail.com.
Te adicionei no msn já, se me veres por lá é só dar ei.
Enfim, você que sabe se é melhor por msn ou e-mail.
Qualquer coisa, avisa.
té mais

Tih... disse...

Gostei muito desse post. Direto, objetivo e realista.

Se minha memória ajudar, passarei sempre aqui pra comentar.

Wander Veroni disse...

Oi, Pedro! Vejo com bons olhos esse lado observador da cidade e dos seus problemas. Não dá para mudar o mundo de uma vez só, mas dá para fazer isso aos poucos, pelo menos no lugar onde vc vive ou ajudando alguém do seu círculo social. A cidade possui um contraste grande e essa mudança acontece aos poucos meu amigo, não é de uma hora para outra. Entretanto, temos que cobrar mudança. E mais do que isso, participar mais. Gostei da sua crônica!

Abraço,

=]

-------------------
http://cafecomnoticias.blogspot.com

palavraacida disse...

É sempre bom aprender a olhar os problemas de uma cidade com os olhos de alguém que entende que pode ter de alguma forma contribuído para esse problemas.

Uma cidade começa a mudar quando os cidadãos começam a refletir sobre as coisas.

Parabéns.

Viviane Righi disse...

Olá, Pedro. Você descreveu uma realidade em nosso país. Porém, não junte-se à maioria. Reaja do seu jeito: às vezes pequenas atitudes podem ajudar a transformar as pessoas e, consequentemente, o mundo. E isso não é uma simples ilusão. é possível sim...

Obs importante: vê se consegue pegar seu GOL mais cedo para não se atrasar no serviço, viu? rs...

Abraços!

Reginaldo Mercês disse...

Brother seu bloge é muito interessante mesmo ...Parabéns



Se puder da uma olhada nesse blog http://www.uniaodepalavras.blogspot.com/
assim como vc gostamos de boa escrita... somos um grupo apaixonados pela literatura poemas e etc...

Abraços


http://www.uniaodepalavras.blogspot.com/