domingo, 26 de outubro de 2008

Caminhei pela sua estrada

Ela é uma grande piada contada ao vento

Ilusão

Foi à contraditória emoção que senti

Solidão

O caminho que percorri

No seu coraçãozinho que não mais...

Estou

Com meu querer de um jovem ancião

Encontrei na sua estrada a minha espada

Tinha perdido no vácuo

Então sua estrada é o vácuo do meu caminho

Onde me perdi encontrando-te

Eloqüentemente rumo ao nada

Encontrei curvas surdas

Molhadas pelo sangue roxo que vinhas do céu

10 comentários:

Marcus Vinícius disse...

Essa poesia instiga a reflexão, garanto que o caminho pela estrada tinha pedras em seu meio e que esse fora tortuoso para chegar ao seu final, talvez um desafio, um labirinto para aprender mais sobre os desafios da vida...

Raphaela Gonçalves disse...

lINDO.. Parabens pelo seu dom! ele é maravilhoso..
O amor é um sentimento capaz de promover inúmeros sentimentos e reflexões.
bjão=*

Anônimo disse...

Só...

Muito interessante o texto, meo engimático e com final bem interessante

www.blogdorubinho.cjb.net

ED CAVALCANTE disse...

ILUSÃO, SOLIDÃO, VÁCUO. QUE BAAAAAAAARRA! ACHO QUE VC PRECISA SORRIR!

marceloclash disse...

Adorei as palavras, são suas? Se for você tem talento, e parabéns.

Visitem e deixem seus comentários.
http://tchannannan.blogspot.com/

a gerencia disse...

nossa
profundo.

dudalak disse...

Maneiro o poema! Amei!
Foi você quem escreveu?

Junior disse...

neu depre...

Ana Carolina Dinardo disse...

Subjetivo.Gostei!

Fábio Flora disse...

Gostei do "curvas surdas", uma imagem interessante... Abraços!