quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Meu Mundo Imaginário 

Fechando os olhos...
Visitei lugares que eu nunca pensei
Que pudesse conhecer
E de fato são maravilhosos.
Visitei mares de águas cristalinas
Praias de areias branquinhas
Visitei campos floridos
Florestas e clareiras
Montanhas de neve
Senti o gosto de pular bem alto
 E a sensação de devagar cair
Corri em bosques
Mergulhei em oceanos
Neles contemplei maravilhas
Senti a liberdade de perto
Voei dentro do meu próprio ser
Senti o cheiro de belas flores
Encontrei a felicidade cara a cara
Ela me mostrou
Que está mais perto do que se pode esperar
Caminhei então, em bosques 
Tomados pelas sombras de belas árvores
Senti meu rosto rasgando o vento
Senti o cheiro da terra molhada
O gosto de andar na chuva...
Senti o apertar de um abraço
O gosto da água
A delicadeza de uma flor...
Contemplei a terra do alto
Cheguei as nuvens
E no segundo seguinte 
A noite chegava esplendorosa
E na areia da praia
Contemplei as estrelas.
Dormi...
Acordei olhando para o sol
Senti sua energia vir a mim
Senti a vida de uma maneira 
Que nunca me pareceu possível
Senti que o mundo é cada vez mais de Deus
Do que dos homens
E no final
Quando você finalmente me alcançou
Do penhasco
Admiramos o pôr-do-sol~~*

 

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Mais um Selo



Olá galera é uma grande satisfação receber mais um selo! É bom saber que o nosso trabalho está agradando, gostaria de agradecer a todos que ajudam a fazer do Visão Contrário um blog cada vez melhor. Os seus comentários seja de elogios, críticas, sugestões... é muito importante e tenha certeza que eles serão sempre respeitados aqui. Ganhamos esses selo do blog do Marcus e agradecemos ele de coração pelo reconhecimento

Aos indicados, estes devem:

1° Expor o selo no blog

2° Colocar o link dos indicados

3° Presentear 10 blogs


E o selo vai para:

Kakau www.messnatural.blogspot.com

Marcelo www.sacodefilo.blogspot.com

Dre www.diariodadre.blogspot.com

Cleidemar Goulart www.blogdocleidemar.blogspot.com

Bertonie www.bertonie.blogspot.com

Fábio Flora www.ultramuito.blogspot.com

Lucas Soares www.esperaemdeus.blogspot.com

Levi Ventura www.duventublog.blogspot.com

Thaynah www.transtornobipolarr.blogspot.com

Pequena Aprendiz www.pequen4prendiz.blogspot.com

Nesses blogs vocês encontram conteúdo diversos de ótima qualidade

Obrigado!

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

O que é o nada?

O nada segundo o meu modesto ponto de vista seria aquilo em que nós não conseguimos preencher, um lugar onde ou algo que não conseguimos definir, seria aquilo que através das palavras não podemos compreender. Lembro de alguns nada que recebi na infância, fazendo questionamento às pessoas do meu convívio, por não terem a resposta “correta” se limitavam a dizer que era nada.

“No nada não existe nem o espaço, isto é, não há coisa alguma e nem um lugar vazio para caber algo. O conceito de nada inclui também a inexistência das leis das físicas que alguma coisa existente obedeceria, dentre elas a conservação da energia, o aumento da entropia e a própria passagem do tempo. Sendo o espaço o conjunto dos lugares, isto é, das possibilidades de localização, sua inexistência implica na impossibilidade de conter qualquer coisa. Isto é, não se pode estar no nada. O nada é, pois, um não-lugar”

Poderíamos então simplesmente dizer que o nada é a ausência de tudo. Por vezes queria e as vezes ainda quero apenas o nada. O nada pode ser a paz, nada de brigas,raiva, maldade, mas pode ser também o ódio, essa falta de alguém ou algo que nos completa surge ai a nossa ausência, a nossa carência e também porque não dizer a nossa loucura e solidão.


Por Pedro Junior

domingo, 26 de outubro de 2008

Caminhei pela sua estrada

Ela é uma grande piada contada ao vento

Ilusão

Foi à contraditória emoção que senti

Solidão

O caminho que percorri

No seu coraçãozinho que não mais...

Estou

Com meu querer de um jovem ancião

Encontrei na sua estrada a minha espada

Tinha perdido no vácuo

Então sua estrada é o vácuo do meu caminho

Onde me perdi encontrando-te

Eloqüentemente rumo ao nada

Encontrei curvas surdas

Molhadas pelo sangue roxo que vinhas do céu

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Estilo Perigoso

Não sigo os padrões de normalidade que é criado por alguns chatos de terno e gravata que vive a desfrutar de todos os benefícios possíveis que o dinheiro, a fama, a manipulação da massa ou até mesmo a roubalheira pode trazer.

Já faz um bom tempo que me deparo com situações de pré-conceito por todos os locais que costumo jornadear, pelos bate-papos via internet, pelo convívio com os amigos, e/ou até mesmo lendo relatos das mais diversas pessoas nos vários veículos da mídia.

Mas o termo pré-conceito tem se tornando tão clichê. Há uma marginalização do mesmo, tornou-se moda acreditar que se é vitima desse problema, algumas pessoas já sofrem da “síndrome do pré-conceito”, um mal que afeta algumas dúzias de indivíduos cujo equilíbrio mental e ético é duvidoso e faz com que os mesmos acreditem que estão sendo vitimas do pré-conceito a todo o momento, como se todo o mundo estivesse contra eles. Também Já vi esse mal sendo chamado de “frescura.”

Dias atrás fui a uma grande rede de supermercados, como de costume entrei com minha mochila, de short, com uma blusa regata, tênis e meu cabelo encaracolado.

Ao caminhar pela mesma, escolhendo os produtos que iria comprar, percebi que alguém me perseguia, mas não como uma forma de proteção e sim acusação. Era o segurança da loja, que não sei por que cometia tal ato. Não dei muita importância e continuei escolhendo os produtos que pretendia comprar, até que o individuo chegou bem perto de mim e como se fosse meu guarda-costas ficou ao meu lado. Perguntei se ele queria algo, ele me falou que por enquanto não. Dei um sorriso e fui buscar outros produtos do outro lado do supermercado, ele continuou me seguindo, até que consegui despistá-lo. Pensei naquele momento o que estava acontecendo, não cheguei a uma conclusão, terminei de escolher os produtos e fui ao caixa, paguei e fui para a porta de saída, chegando à mesma, fui abordado pelo segurança, que falou para eu abrir a mochila, pois, segundo ele, estaria eu roubando produtos do supermercado. Fiquei surpreso com a abordagem, e falei que não iria abrir, afinal, não estava roubando nada. Ele continuou insistindo, e as pessoas que ali estavam começaram a me olhar como se eu fosse um bandido, depois de alguns minutos discutindo com eles, resolvi abrir a mochila. Ao constatar que não havia nada, os mesmos me pediram desculpas, falaram que só me abordaram porque meu “estilo” jovem é muito parecido com os dos “trombadinhas” que vivem a roubar naquele supermercado.

Senti-me tão mal, formulei inúmeras perguntas acerca da ética, do senso comum, entre outras, mas preferi não discutir, pois ele não era o “culpado”, apenas cumpre as regras, resolvi ir embora. Chegando em casa, pus-me a refletir sobre o que havia acontecido, muitas perguntas e poucas respostas surgiram.

Contei o caso a um amigo, ele me falou que fui vitima do pré-conceito que os jovens sofrem, por conta de um “padrão” que foi definido sabe-se lá por quem, meu estilo é parecido com os dos “trombadinhas”, e por isso, sou considerado um “meliante”.

O Problema parece simples, mas é muito complexo. Faz muito tempo que estamos sofrendo com o pré-conceito, acostumamos a julgar as pessoas antes de conhecê-las, e por tal padrão que foi criado, muitas pessoas de bem são consideradas “suspeitos”, mas temos que avaliar a ética, os padrões, e, principalmente, quem criou os mesmos. Mas estamos tão acostumados a não questionar nada, ao comodismo. Pensar então... “Pensar dói”.   

Ah, que saudade do tempo que usava terno e gravata, pelo menos eu não era abordado pelos seguranças nos supermercados.

quarta-feira, 22 de outubro de 2008


Tempo

Não sei se ainda há tempo para dizer o que ainda não foi dito,

Não sei se o tempo me fez evoluir,

Não sei se o tempo caminha ao meu favor,

Não sei por que ainda perco o meu tempo,

Perco-o com coisas bobas como:

Raiva,

Ódio,

Angústia,

Solidão,

Loucura,

Impaciência...

Mas hoje sinto que quero perder muito tempo com

uma coisa fantástica que é o amor...

Não quero apenas perder o meu tempo com o amor.

Eu quero é me perder no Amor!

Por Pedro Junior

terça-feira, 21 de outubro de 2008

In-verdades

Só queria que fosse real
Que seu linguajar não fosse banal
Promessas
Repetidas
Falsas verdades
Revividas
Sinto-me tão mal
Não apenas por ser enganado
Mas por ter acreditado
Que poderia ser feliz
Ao seu lado
Oh, que bobagem acreditar
Que seu abraço forte
Não iria me enganar...

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

A luz do Vaga-lume



O vaga-lume é um inseto coleóptero que possui emissões luminosas devido aos órgãos fosforescentes localizados na parte inferior do abdômen. Essas emissões luminosas são chamadas de bioluminescência e acontecem devido a reações químicas onde a luciferina é oxidada pelo oxigênio nuclear produzindo oxiluciferina que perde energia fazendo com que o inseto emita luz.

Outro fator que impulsiona emissões luminosas é o de chamar atenção de seu parceiro ou parceira. O macho emite sua luz avisando que está se aproximando enquanto a fêmea pousada em determinado local, emite sua luz para avisar onde está.

Na reação química, cerca de 95% aproximadamente da energia produzida transforma-se em luz e somente 5% aproximadamente se transforma em calor. O tecido que emite a luz é ligado na traquéia e no cérebro dando ao inseto total controle sobre sua luz.

Infelizmente, os vaga-lumes estão ameaçados pela forte iluminação das cidades, pois quando entram em contato com essa forte iluminação, sua bioluminescência é anulada interferindo fortemente na reprodução podendo até serem extintos.

Fonte: http://www.brasilescola.com/

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Dependência Tecnológica

Para muitos a dependência tecnológica é a doença do século XXI. Bons motivos há para eles sustentarem esta idéia. Já é sabido que a tecnologia esta se desenvolvendo de forma espantosa, cada vez mais rápida, um bom exemplo são os celulares é só lembrar-se dos lançamentos de 10 anos atrás ou até antes eram verdadeiros “tijolão”. No entanto hoje as coisas estão caminhando para a diminuição e com muitas tecnologias integradas.

Mas o que mais me assusta é a questão da dependência que essas e outras tecnologias proporcionam, as pessoas tem feito uso dos e-mails, SMS, mensagens instantânea, conseqüentemente as relação inter-pessoas acabam ficando cada vez menor, as pessoas visitam menos os amigos em suas casas, e acaba gerando pessoas inseguras também.

Outro fator que merece destaque é o caso da praticidade; o controle remoto, e outros facilitadores acabam ocasionando certo sedentarismo, as pessoas estão indo cada vez menos nas lojas, elas compram pela internet e o produto chega a casa, andam menos e quando saem de casa na vão de carro.

Certo dia fui ao mercado aqui do bairro e fiz uma compra no valor de 13 reais e paguei a mulher com uma nota de 20 reais, coisa incrível ela precisou pegar a calculadora e fazer a conta para me passar o troco, é isso que me espanta as pessoas estão se tornando inseguras e cada vez mais dependentes dos recursos tecnológicos e práticos.

Bom isso é apenas um pouco sobre esse vasto assunto; no entanto acredito que a tecnologia está ai, ela é maravilhosa, mas precisamos ter certa consciência, saber como usar e manter velhos hábitos saudáveis comece com algo simples não tentar usar o controle remoto ou sei lá ficar um dia da semana sem entrar na internet, algo do tipo, o importante é saber que devemos usar a tecnologia com cuidado para não virarmos escravos dela.

Por Pedro Junior


quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Objeto Obsceno


Tenho o costume de sair muito de casa, andar pela cidade, ser um verdadeiro andarilho, com isso conheci e sempre conheço lugares muito legais e belos da mesma.

Há alguns dias atrás houve uma exposição de artes plásticas lá na Praça Bispo Dom José.

A Praça Bispo Dom José é um lugar interessante. Fica no centro da cidade, e é ponto de encontro de várias pessoas, casais de namorados, pássaros e idosos.

Antigamente lá era um terminal de ônibus, mas as condições eram precárias, não havia uma estrutura que suportasse a quantidade de pessoas que por ali passavam todos os dias, com isso os usuários viviam a reclamar, se acidentar, serem roubados, passarem mal, etc.

Após um longo tempo de reclamação da população, abaixo assinado... o sistema tarifário dos ônibus foi mudado, incluiu-se o cartão de transporte, com isso os usuários poderiam fazer integração em qualquer ponto da cidade, evitando assim a superlotação do terminal.

Foi um sucesso. A prefeitura usou a imagem de ‘evolução’ para justificar a desativação do terminal e a inserção do cartão. A população que lutou para que, de fato, as coisas mudassem, simplesmente foi esquecida. A prefeitura tem os melhores marqueteiros, a briga era injusta.

Após isso, o terminal foi destruído, e foi construída ali a praça. O local é lindo, carregado de história e com um charme todo peculiar. Há vários bancos, algumas arvores, um palco para eventos, e no meio da praça uma cabana meio obscena. É sério, é uma coisa redonda, que parece ter um chapéu, e ao lado uma arvore estranha. Quando é natal a prefeitura coloca várias luzes no chapéu e na arvore estranha.

Sempre que vou lá, fico imaginando o quanto seria legal subir naquele chapéu para dar alguns saltos, é tentador escalar a cabana obscena no meio da praça. Poderia subir lá e tirar várias fotos, quem sabe colocar no Orkut, mas aí viraria modinha, muitos iriam querer subir lá para tirar fotos e colocar no Orkut, a polícia poderia não gostar da idéia e as fotos iriam se tornar clichês.

No dia da exposição, minha namorada estava lá ao lado da cabana obscena, com um jeans bonito dançando para mim, seus movimentos estavam extremamente tentadores, seu olhar com mais vida, seu corpo brilhava como o sol, acredito que fiquei ali por uns 20 minutos assistindo ela dançar, até que um chato resolveu “me acordar”

- Por que você tanto olha o objeto obsceno desta praça?
- Hã? Nada...
- Nada?
- Ela não estava lá mesmo...
- Você é mais doido do que eu imaginava.

terça-feira, 14 de outubro de 2008

Ventos da Inconsciência


Fui invadido por pensamentos de competência peculiar, e de modo demasiado me fez replicar, que nas constantes indagações que sofri até então, submeto a duvidar de meu coração.

Hoje não mais importa, nem que outrora se intensificava na minha ansiedade de querer respostas, e nas chamadas perdidas me revisto nas crises, que foi feito por você.

Ah! Não queria mais dizer a verdade, nem tampouco trair meus sentimentos, na subsistência da verdade de ser sincero perante o mesmo, crio ondas que me afundam nos lagos que antes adorava nadar.

Queria escrever palavras adequadas, sentir que na realidade não me perdi sendo consumado por prazeres relativamente momentâneos, e mesmo que fora, não importa, hoje....hoje não vale mais a pena sofrer, pensar e caminhar sem ao menos ter uma estrada para que se possa sentir aonde se quer pisar, no entanto, ontem, foi diferente, sentia a brisa no meu rosto, sentia o prazer de degustar o tempo sem ao menos que o badalar do relógio se flexionava em direção noutro ponteiro.

Queria sumir, queria gritar, queria dizer que sempre quis te amar, mas na realidade me vendo no espelho noturno, hoje está embaçado encoberto pelo abismo de um distante futuro.

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Era uma manhã com várias estrelas no céu, mas poucos dos que se encontravam naquela casa, onde na noite passada, uma pessoa havia sido assassinada, conseguiram abrir os olhos. Talvez uma forma desesperada de não encarar a realidade crendo que o sono pudesse aliviar ou quem sabe apagar a culpa que já percorria seus corpos sufocando-os em um pesadelo que apenas havia começado.


Continua...

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Parte de Mim

Parte de mim é o que fui,
E outra parte é o que eu ainda quero ser.

Parte de mim é sorriso,
E outra parte é tristeza.

Parte de mim é sensatez,
E outra parte é loucura.

Parte de mim é doar,
E outra parte é receber.

Parte de mim é bonzinho,
E outra parte é malvado.

Parte de mim é beleza,
E outra parte é feiúra.

Parte de mim é luz,
E outra parte é trevas.

Parte de mim passado,
E outra parte é incerto.

Parte de mim é ler,
E outra parte é interpretar.

Parte de mim é expressar,
E outra parte é me calar.

Parte de mim é amor,
E outra parte... eu não sei.

Por Pedro Junior

domingo, 5 de outubro de 2008

Já não sinto meus pés

Em um instante de raiva, possuído pela dor

Mergulhado nas misérias e desgraças da vida eu estava.

Assumindo a personalidade de um louco

Sem juízo.


Peguei as minhas angústias e junto veio um facão.

Peguei a minha raiva e lavei-o .

Peguei a minha dor da solidão e afiei-o .

Peguei a minha coragem e nada fiz...


Mas mesmo assim já não sinto mais meus pés.

Não sei o que aconteceu...

Sei que sou apenas viajante de um mundo surreal...


Por Pedro Junior

sábado, 4 de outubro de 2008

Desânimo e Descrença Eleitoral

Amanhã é o grande dia das eleições e consigo chega o desânimo, palavra que nos remete a idéia de abatimento e desalento, aflora então, uma angustia que toma conta da maioria dos eleitores.

Há diversos fatores que ocasionam a descrença eleitoral dentre elas a falta de comprometimento dos políticos eleitos com a sociedade, a seqüência de casos de escândalos, corrupção estampados praticamente todos os dias nos noticiários acaba sendo fator decisivo para a descrença eleitoral ocasionando conseqüentemente a tomada de certas atitudes

Dentre elas está o caso do não comparecimento no dia da votação, vender o seu voto, ou anulá-lo. Movimento este que têm sido bastante expressivos, havendo comunidades em grandes sites de relacionamento com intuito de incentivar o eleitor a anular o seu voto.

Entre tanto é fato que a sociedade tem os políticos que merece, haja vista que cabe a nós cidadãos saber sobre a vida dos candidatos e fiscalizá-los, mas nem sempre nos comprometemos com esta questão, algo simples como entra no site da câmara municipal da sua Cidade. (só entrar lá no Google e descobrir o endereço eletrônico) Procure saber se o vereador que você elegeu está cumprindo o que ele prometeu

Votar é sem duvida exerce um ato de cidadania é fundamental. Mesmo achando que só há políticos corruptos, ladrão e que não cumpre o que promete temos que tentar procurar aquele que possua propostas que atenda o interesse da massa. Não podemos eleger políticos que tentam usar da à máquina publica para benefícios próprios devemos votar com coerência. E se acharmos que nenhum merece o nosso voto o que fazer?

Não há político perfeito o ser humano está longe da perfeição, mas devemos procurar aquele que se compromete com a maioria mesmo que para isso devemos às vezes negar aos nossos próprios interesses. Mas se nós não estamos satisfeitos devemos incentivar pessoas que julguemos ser capaz para administrar uma cidade a se candidatar.

Se nós não renovarmos; sempre haverá os mesmo candidatos, com as mesmas propostas e com a mesma falta de comprometimento, se nós não fizermos esse pequeno esforço para encontrar um bom político e assim renovar com os bons, os runs tomam conta.

É importante a participação de todos os cidadãos participando ativamente da política, temos que parar com esse paradigma de que política, sexo e religião não se discutem. Se continuarmos pensando assim sempre haverá maus políticos, crianças engravidando cada vez mais cedo e descriminação religiosa. O voto consciente é um grande passo para a construção de uma sociedade mais digna.

Por Pedro Junior

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Será?

Sou considerado nerd
E por ser nerd
Não sou um cara legal

Sou considerado nerd
E por ser nerd
Sou um cara especial

Sou considerado nerd
E por ser nerd
Meu mundo é surreal

Sou considerado nerd
E por ser nerd
Vão me mandar para o espaço sideral

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Fotografia

A fotografia que te mostra me faz lembrar o ontem

Reflexo de uma vida “bem vivida” sonhos lindos

São imagens congeladas de momentos de felicidade

São gotas de louca, amor, saudade e esperança...

Esta não sei se ainda quero alimentar


Quando me pego perdido vendo o nosso álbum

Sinto saudade do que foi, sinto tristeza do que esta sendo

E sinto raiva do que sei que ainda está por vir


Não importa o que aconteça nós estaremos unidos

Seja nessa pequena fotografia que eu guardo com o coração

Ao meu lado por anos ela me acompanha.


Por mais que diga que não se pode perceber o perfume pelas fotografias

Bobagem sinto o seu perfume de rosas colhidas no mais

Lindo e perfeito jardim da vida. Sinto o seu perfume que invade o meu ser


Quero poder estar contigo, mas como o destino nos separou

Fico aqui apenas a relembrar do filme da nossa vida

Cada fotografia surge como um momento único que foi capaz

De congelar para a eternidade o que um dia foi perfeito...


Por Pedro Junior

quarta-feira, 1 de outubro de 2008



Bem

Acordei sem saber ao certo
Como iria manifestar
Toda pureza que sinto no seu olhar
Nos dias e nas noites
Que tu vens inspirar-me 
Mesmo sem notar
Você é vida
Desmedida para o bem
Meu bem
Hoje não te vi de manhã
Senti-te longe de corpo
Perto de alma
Com o sorriso que me acalma
E faz-me bem
Enquanto conto...
Nos dedos as horas
Para nosso encontro
Sorrateiro 
No espelho d’água
Onde vi os bem-te-vis
Cantando à espera
Para nossa festa particular
Lá, no nosso local secreto
*Segredo*
Versos...
Papel em branco
Onde estamos escrevendo
Nossa história
Lá, conto-me...
E choro nos versos
Bem direcionado
Contando para o mundo
O bem, que você me faz
Meu bem...

1-10-2008 - 11 meses de namoro.O