segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Minha melhor amiga

Vivíamos sempre juntos assim como a terra não vive sem o sol eu não conseguia viver um minuto sem ela. Quando criança brincava-mos juntos (mas somos ainda duas eternas crianças de alma) vivíamos correndo brincando e brigando também, faz parte de todo processo de fortalecimento de uma amizade...

O tempo foi passando e a menina virou mulher, hoje não brinca mais de boneca hoje é moça crescida, e sonha com o príncipe encantando como muitas mulheres... e eu o que seria nessa estória? Talvez o sapo, não sei só, sei que vivo nessa angustia de dizer, de dizer que... Eu sinto por você uma forte atração.

Queria ate poder me aproximar, mas tenho medo dela me renegar, queria poder te tocar, mas tenho medo dela fugir, queria pode beijar ela, mas tenho medo dela não gosta, queria apenas dizer o que eu sinto, mas tenho medo dela me abandonar... É forte o medo ele não deixa eu te dizer, essa minha insegurança, oh triste somos nos librianos que somos tão confusos, pensantes às vezes ate de mais

Hoje eu me perco em suas curvas e tento controlar-me; pois sou apenas o seu amigo-irmão, mas será que o destino não foi cruel de mais comigo. Amanhã quem sabe eu chego nela e te digo você é a pessoa mais especial que eu conheci em toda a minha vida, não foi obra do acaso te conhecer foi à obra de algo muito mais grandioso que não podemos nem ao menos descrever com palavras, eu te amo, te quero e te desejo com toda a minha força.

Não sei se vivo com a dor da incerteza, ou se morro com a dor da rejeição...

Por Pedro Junior

15 comentários:

rosangela disse...

Não sei se o caso é verdadeiro..

Mas existe tantas possibilidades que pode ocorrer e vc só vai saber se correr o risco.. de uma decpção ou de uma maravilhosa surpresa.

Investigue os pensamentos dela.. talvez ela sinta o mesmo e não descobriu ainda..

abç.. e boa sorte!!

http://www.analucianicolau.adv.br/

Yuri disse...

Estória, deve ser fictício...

Mas... tenho que concordar, apesar do medo, só correndo o risco...
Sabe, eu já tive nessa onda. Vivi na incerteza, se foi bom? Não. É estranho às vezes não temos as palavras adequadas ao momento, atitudes valem mais... Mas ser mudo não ajuda nessas horas.
Lbriano? Imagine eu, de Peixes...
-.-
...

É isso aí...

VLW!

Jonatas Fróes disse...

Pois é, acho que só devo concordar com os demais comentários. Pra deixar a dúvida de lado precisa de uma atitude um pouco mais direta e dar a cara para bater. Só assim vai se livrar desse pensamento contínuo.

[]'s

Musikaholic

danisiinha disse...

eu já vivi um romance com um amigo de infancia... valeu a pena , mas quando acabou a amizade nao ficou a mesma...

greatdj disse...

Antes falar do que a incerteza.
Prefiro correr o risco do que ficar naquela angústia.

Quando se gosta de alguém já não é mais amizade, é amor.
Então que acabe com tudo.

greatdj disse...

Antes acabar com tudo do que viver na esperança de algo que pode acontecer, ou não.

calango azedo disse...

chorei

Anônimo disse...

Historia bonita e profunda,mas muito triste,é real ?

se For ara,apenas balance o custo e beneficio,e deixa acontecer naturalmente.

Jorge Oyafuso disse...

Eu vivi nesta mesma situação; a diferença é que me afastei drasticamente dela. Eu não farei isso nunca mais.

E como disse um dos comentários, correr risco pode tornar-se necessário. Como diz a frase, "Quem não arrisca, não petisca."

Mas há o problema da rejeição, então, podemos pensar que a amizade é mais garantida do que uma tentativa de declaração de amor.

Se declarar ou não é uma questão muito difícil. Você sofre por desejar uma garota que é uma amiga-irmã.

Hoje aprendi que, independente dos riscos que corri, a amizade é mais importante, e consegui lidar bem com isso por um bom tempo... não arrisquei, mas mesmo assim, coloquei a perder uma grande amizade. Ainda bem que depois de tudo isso, nada mudou.

E hoje estou feliz.

Busque o que achar melhor para sua felicidade e desta garota, arrisque, não arrisque... é uma questão complexa na qual só você mesmo pode lidar...

Wander Veroni disse...

Olá amigos do Visão!

Não sei se a história é verídca, ams mesmo assim torço para que o personagem citado saia desse momento de indecisão e se declare. Só assim ele conseguirá saber se o amor é correspondido ou se ele deve partir apara outra.

Abraço,

=]
________________________
http://cafecomnoticias.blogspot.com

ºDreº disse...

Como é bom ter amigoos.
Boa semana para você tbm.
beijos

Sam Šammić disse...

Sempre apelo pro Cazuza, então, pra manter o clichê, ele/eu diria:
"É que preciso dizer que te amo, te ganhar ou perder sem engano..."
A incerteza, de qualquer maneira, é o que mata, baby, tu tem que arriscar e dizer o que sente! Só assim tu vai tirar essa roda da inércia! Coragem, man, e boa sorte ^^




http://caleidopizza.blogspot.com

Anônimo disse...

ihh complicado ein
as vezes acho que é melhor tentar
msmo que se arrependa por ser rejeitado
mas pelo menos nao fica aquela duvida
e dai sim tentar esquecer
sem uma esperança

abraços
http://blogaragem.blogspot.com/

Danilo Moreira disse...

Ola Pedro, primeiramente, obrigado pelo comentário no meu blog.

Bem, já passei várias vezes por essa situação, uma onde eu é quem me apaixonava, ou a menina é quem acabava enlouquecendo por mim, porem, de todos os casos, o que meu mais me arrependo é de um, na escola, quando fiquei louco por uma menina, e pensei tanto, mas tanto, que quando fui me dar conta, já era tarde demais.

Resumindo, pense, mas nao pense demais. Melhor atirar a cara na aguá, do que morrer de sede pensando demais em como entrar nela.

Abçs!!!!

Que tal rir um pouco?

Confira:

----------------------------------
Sessão Nostalgia 4 - Sai de Baixo

http://emlinhas.blogspot.com/

EM LINHAS...
Quando as palavras se tornam o nosso mais precioso divã.
----------------------------------

blog disse...

Camarada, esse tom confessional indica uma subjetividade que só vc, de fato compreende. Dor, angústia, incerteza todos têm, mas, nesse texto, isso pertence a vc. Bacana vc ter transformado em palavras.
Só um toque: a gramática é seu instrumento. Cuide dela com carinho.
Abraço.