sexta-feira, 4 de julho de 2008

O sem-sentido na Psicanálise


Lacan dizia, em 1949, que a loucura seria algo vivido inteiramente no registro do sentido - definição feita a partir do delírio, que seria uma reconstituição do sentido perdido pelo sujeito lá onde ocorreu uma dissolução imaginária do mundo. Para Freud, isso ocorria quando o enfermo retira das pessoas e do mundo externo todo seu investimento libidinal(de energia), fazendo com que tudo se torne indiferente e como se não houvesse relação alguma com ele- o delirante, eis porque ele sente esta necessidade urgente(tentativa de cura) de explicar para si o universo- aqui começa a elaboração do delírio.

Esse trabalho de explicação do universo é o único meio pelo qual o sujeito pode voltar a encontrar sentido pra sua vida. Sentido esse que está fora daquele entendido pela norma simbólica do Complexo de Édipo, norma que rege a busca do sentido nos neuróticos, ligada à sexualidade basicamente.

O sentido seria a "categoria do imaginário que responde ao significante que é do registro simbólico. O efeito de sentido é produzido pela fixação de um significante a um significado."(Quinet) Quando pego um objeto e o nomeio, construo uma representação desse objeto na minha mente( o objeto seria mais ou menos o significante, enquanto a representação que construo a partir dele seria o significado, por exemplo). Assim, quando me deparo com o nome 'objeto' novamente, imediatamente o associo àquele objeto. Essa representação imediata do objeto é o que Kant chama de intuição.

Os fenômenos de sentido se apóiam na função simbólica da linguagem e essa divisão entre significante e significado é o que se usa pra tentar explicar a psicose pela ótica lacaniana. Na neurose, a intervenção da funçao paterna e introjeção da consciência moral e da "lei que proíbe o incesto" possibilita que o sujeito produza uma significação da sexualidade(diferente de sexual, mais no sentido de energia, interesse) e seus investimentos que o guiarão em seu desenvolvimento e suas buscas até a idade adulta.

Já na psicose, esse processo falha e o sujeito não consegue articular essa simbolização. Então encontramos na psicose as construções produzidas por essa falha, o inconsciente fica como a céu aberto e há prevalência do significante. Entre essas construções estão a alucinação verbal(há o modelo do significante desprovido de significado, de sentido inteligível pela sociedade) como os pássaros miraculados de Schreber que não conhecem o sentido das palavras que enunciam; também os fenômenos da alusão, da perplexidade e da intuição - formas que o sujeito tenta trazer de volta ao Real os significantes a que não conseguiu atribuir significado, sentido, não conseguiu simbolizar. Seria o delírio, como formação imaginária, que traria sentido(ainda que não entendido pela sociedade) aos significantes que forçam sua volta ao Real.

"O sentido de um sintoma na neurose como na psicose não é um sentido comum - não há senso comum para o sintoma - ele é sempre singular. Por isso a psicanálise é o avesso do discurso do mestre que produz o senso comum, o sentido partilhado. A psicanálise deve levar o sujeito a produzir seu proprio sentido que não é comum. Se o sentido é imaginário, o imaginário não é pura imaginação, o imaginário dá consistência ao Real. O imaginário dá o efeito de sentido exigido pelo discurso analítico: efeito real."(Quinet, in: Teoria e Clínica da Psicose)

O sentido se opõe ao equívoco, pois é sempre unívoco, singular, caracteristica do imaginário que detém a ambiguidade enigmatica do significante que retorna ao Real através dos fenômenos psicóticos.

~

25 comentários:

rosangela disse...

Acho melhor eu procurar um psiquiatra... to ruim ... rsrs

abç..

Pr. Cláudio Moreira disse...

Interessante a perspectiva lacaniana. Conhecia apenas os estudos de psicanálise de Freud e Heich.
Parabéns pela iniciativa de colocar este estudo na Internet.

Gláucia disse...

Adorei, estudei significados e significantes relacionando-os a jornalismo, e sinceramente, adorei sua visão.
Muito obrigada pelo conhecimento, de verdade e muito bem formulado texto.

Obrigada.

Beline disse...

Que mal lhe pergunte, mas qual o razão deste post, quero dizer, é uma explanação sucinta do conceito de sentido, mas deve háver algo mais que não encontro. Ou Não?

Daniel Augusto disse...

faz sentido!

^^"

aahuauhahua...

gostei muito da análise do estudo...

psicanalise é realmente diver gente...

bye

roas77 disse...

É tão perspicaz ..

adorei .. mas continuo achando que preciso de ajuda... kkkkk


abç..

slim shady disse...

Interessante e integrante.

Victória D. disse...

Li, e ainda preciso ler de novo para formular uma idéia clara. No todo, é ótimo colocar isso aqui. Pois é um "campo" que não interessa a maioria da população atual, e quem sabe, com um ótimo texto como esse, deperte o interesse das mesmas. Acabei de ler um livro sobre... Meio romance, mas fala. Quando Nietzsche Chorou. É ótimo. Conhece? Se não, recomendo.

Abraços.

Leonardo Dognani disse...

então creio que eu deva ser uma pessoa psicótica.
=p

acho muito interessante os estudos da mente e da razão, até porque, tudo parece um grande jogo, onde cada um monta as possibilidades mais prováveis^^

gostei da postagem^^
=***

LUCAS DE OLIVEIRA disse...

Para falar bem a verdade pra vc... li, mas não entendi... sera que sou louco?

Mas acho interessante os estudos da mente - embora não curto muito.

Abçs

Lucas de Oliveira

stoubby disse...

seria interessante uma contraposição antropológico para interpretar "loucura", etc.

Abraços,
Rafaela.

http://notionsless.blogspot.com/

Breno Lucano disse...

Estranho! Juro que me esforço para entender a cabeça dos subjetivistas epistemológicos, mas não consigo. Enquanto objetivista, não consigo ver como uma coisa pode deixar de ser ela mesma.

Marcos Rossato disse...

Acho que sou meio maluco... xD

Anônimo disse...

Este texto é para ser lido e relido. ´Para nós, leigos no assunto,foi bastante informativo e bem elaborado.A sociedade precisa mesmo de pessoas como voce, interessadas em divulgar seus conhecimentos.Abraços, Menina Chorona

Leonardo Werneck disse...

Muito bom post, mas concordo com Beline, qual sentido, quis dizer o quê com o texto?

Lady disse...

Fiquei confusa '-'
Vou reler pra ver se entendo!!

^^v

Tania Montandon disse...

Leo e Beline,

Na verdade, o texto fala é do sentido do "sem-sentido" exatamente por essa aparente contradição; seria o q a sociedade considera como "sem-sentido" realmente desprovido de qualquer razão de ser?!

Rafael disse...

Estudei Lacan em Psicologia da Educação.
Me encantei.


PS: Volto aqui para ler esse post.

Karla Hack disse...

Mto interessante e bem elaborado.
Nào tenho muitos meritos pra falar do assunto, mas ao ler... consegui compreender.. ou quase!
heheh

;D

bjus

Lauro de Lacerda disse...

Parabéns pela iniciativa de por este post em seu blog.
Texto bem formulado e criativo.
Quase ninguém fala sobre psicanálise.



Acesse:
www.radioadcampos.blogspot.com

fati disse...

Há pessoas, como Tânia, que não gostam de serem chamadas de intelectuais... Pode? Pois é, gente. Este texto, tão bem escrito, só poderia existir por alguém que conheça a psicanálise lacaniana. Tânia escreve bem melhor que muitos psicanalistas. Sempre achei ela intelectual. Além disso, muito sensível! Corajosa é por colocar a teoria num blog. São estas coisas que mantém a psicanálise viva, vivíssima!
Meus parabéns, mais uma vez.
Sou sua admiradora, sempre!
Fati, São Paulo

fati disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
fati disse...

Uma das pessoas que colocou comentário aqui, pergunta-se qual o motivo do tema do texto. Ora, ora, existe assunto mais bonito, mais instigante e misterioso, do que a loucura???
Vejam esta linda frase de Lacan:
"E o ser do homem não apenas não pode ser compreendido sem a loucura, como não seria o ser do homem se não trouxesse em si a loucura como limite de sua liberdade". (1946)

libriano_cba disse...

Sempre se fez necessário um toque de loucura na vida, ela é encarada de uma forma muito séria, e sempre as pessoas que divergem disso são ao primeiro momento ditas como loucas, lembra de Newton? mas depois são admiradas!!!
Espero não ter me equivocado sobre o assunto, sou meio leigo nessa nisso,mas me interesso muito por temas assim.

T+
Boa noite!

Anônimo disse...

É um texto muito bem elaborado e sobre o tema mostra conhecimento do autor.Não interessa a todos, porem contribui para enriquecer o blog na sua diversidade de assuntos. Parabens! @M