sexta-feira, 20 de junho de 2008

Alma Geometrizada!

A Solidão me mapeou
Em seus traços não definidos
Escreveu em minha alma branca
com giz de cera azul

Como a cor das nuvens
que fazem desenhos intangiveis
no meu céu, fim-de-tarde-arde
aos poucos a lua amarela ganha a noite

Amareló-óuro expandiu-se pelas planícies
vazias e escuras do meu peito
que doi na fotografia do nada
tirada na noite em que revelaram-me a vida

Codificada pelo amor
Nas sombras da minha estrada
que tem linhas e uma mão que destina
ao enigma imaginoso nesta folha quadrada
que explica quase nada
desta alma geometrizada

Por DuDu Magalhães

11 comentários:

rosangela disse...

amei amei ..

Acho que estou meia apaixonada!! rsrs

abç..

Magnólia & Estriquinina. disse...

é, se era para doer, pode parar!
Muito bom.

disse...

Lindo isso...
"Escreveu em minha alma branca
com giz de cera azul"
Parabens

Abço

Paulo Roberto disse...

Opa...
Também gostei do texto geomatrizado.
Abraço!

Lucas Soares disse...

Ficou muito interessante.
A combinação das palavras ficou muito boa.
Parabéns!!!

Karina Maria disse...

Aiai

O que eu posso dizer...


Meu amor tem o dom das palavras e isso ninguém tira...

Bjus, vida!

Giovanna. disse...

gostei do seu texto ;}




'Já ouviu falar na "sindrome da ingenuidade?"'
não sei o que você quiz dizer com isso... -.-

iti disse...

caracas.. pegou na alma isso rsrsrss
mto bom
http://lhmartins.blogspot.com/

Marcelo disse...

Que profusão de cores e formas no poema. Mais sinestésico impossível.
Gostei.

http://www.patraoonline.com disse...

legal

Tania Montandon disse...

Preciso agir, rapido. Nao posso mais adiar. Cumpri minha missao: fiz com q a vida de todos ao meu redor nao fosse tao facil. Agora devo partir. Espero apenas os amigos ditarem-me como. Nao ha de demorar. Eu sinto. Eu sei. Sei também que ninguem compreenderá. Mas assim foi sempre. Nao fara diferença. Desejo, de qualquer modo, q meus orgaos possiveis sejam doados e meu corpo sirva para pesquisa de medicamenntos, principalmente o cerebro, na esperança de contribuir com os proximos q experimentarem a inabilidade vital emocional a que fui acometida. Que se possa saber mais! Que se possa sofrer menos! Irei em paz!