sexta-feira, 30 de maio de 2008

não te quero









Não te quero com um buquê das mais lindas rosas,

Que eu o possa sentir e embriagar-me na fragrância.

Não te quero como o príncipe dos meus sonhos juvenis,

Que eu durma beijando tua terna face e acorde chorando por não ter sido milagre.

Não te quero como o grande homem de caráter e carisma invadindo meus pensamentos à revelia,

Que eu só jamais apreciaria a sua beleza e sentir o seu perfume por não passar de um delírio, sim, porque só seria sonho se fosse a dois.

Não te quero como minha fonte favorita de alegria,

Que eu só poderia lembrar aquele primeiro sonho e depois chorar ao acordar, sem consolo ou razão, apenas com meu tolo coração.

Quero-te como um homem verdadeiro,

Que seja amigo quando puder e consiga tolerar a expressão do que você sempre soube provocar.

Quero-te também como o mistério que desconheço,

Que não vá embora quando por ventura perder uma esperança e a vontade de vencer, porque a minha escuridão seria quando fizesse isso e me deixasse sem nada saber.

Quero-te como o vinho,

Que mesmo não sendo sua presença diária e constante, possa aparecer corajosamente contrariando regras morais e transformar meu sofrer em prazer, sem corpos ou gozos, apenas corações semi-iguais.

Não alguém que eu conheça ou pense conhecer, mas o único que saiba ser inteiro sem se esconder, cujo nome poderia eu dizer...




13 comentários:

Tyler Bazz disse...

Acho que o problema é às vezes querer demais....

Cruela disse...

como vinho? ou seja, se não prestar vai me dar dor de cabeça?

Jefferson Barbosa disse...

Os desenhos são seus?
Eu não quero tanta coisa.

a ghost in the machine disse...

bem legal o poema.
uma visão diferente das relações amorosas.
gostei dos desenhos também.
acho muito legal essa mistura de texto e imagem.
té a próxima.

Rosangela disse...

O poema é muito bom..

Talvez só por querer "um verdadeiro" já seja um sonho.

O amor faz isso, fantasiamos de mais, queremos uma coisa que não podemos ter, pois ninguém é tão verdadeiro e nem tão falso.

Minha opinião!!

abç..

HenriqueM disse...

O querer e o não querer sempre andam de braços dados.
Huma hora você anda de um lado, outra hora do outro...

João Maluquinho.O disse...

achei muito lindo o seu poema
e paguei pau pro seu desenho
(obrigado pela omenagem)
e quem disse q vc ñ desenha?
bjss

Tania Montandon disse...

putz, eh mesmo, caí no paradoxo da vida de novo: amor/odio, querer/nao querer, sonhar/realizar, errar/aprender, viver/morrer, análise/síntese, bem/mal etc...

falhou................ valeu pelo insight, Henrique!

Samires França disse...

Mas, os paradoxos também são poéticos ! :)

Mas, é bem verdade...
o querer sem tomada de decisões é muito estático. Querer e fazer acontecer é o que há!

Ps: obrigada pela visitinha. :)

Anônimo disse...

Uma viagem: O desenho! O poema! Faz parte do exercício de viver.
Boa amostra de sua capacidade. Um abraço,@motta

Anônimo disse...

Gostei do poema e do desenho, principalmente pelo que podemos "sentir" nas entrelinhas e nas expressões.Nadja

DuDu Magalhães disse...

Lindo o poema, paradoxo já se tornou sua marca pessoal, e, particularmente, curto pakas..
xD~~
enquanto aos desenhos...
Um dia também vou desenhar assim! RUM

jonas-16 disse...

O difícil é querer... E creio que você potencialomente a quer mais que tudo e por isso classifica o não querer de várias formas.

Avante soldado....