terça-feira, 30 de dezembro de 2008

O Vidente

Por Mateus Bracarense

Já estamos com o pé 2008 e com as expectativas à mil. Eu, como um bom amante da música, já estou de olho no que poderá acontecer ao cenário mundial. Portanto, trago hoje as minhas expectativas para este ano que inicia amanhã!

Em minha humilde visão, o rock voltará. Não naquele ótimo estilo simples de ser, como os Rolling Stones, mas no tão excelente quanto os Strokes. Já surgiram boatos de que a banda lançará disco novo no próximo ano, então é só aguardar. Mas para quem acha que é só os Strokes que farão parte da leva do rock animadinho, se enganou, porque este ano ainda tem trabalho novo do Arctic Monkeys e Franz Ferdinand.

O mundo do pop é algo quase impossível de se prever. Quem diria que em 2008 viria uma tal de Katy Perry e arrebataria todas as rádios? Pois espero que no próximo ano venha alguém com um pouco mais conteúdo, mas com baladas tão boas para se dançar.

Já para a eletrônica vejo um futuro sombrio. Dizem as más línguas, quer dizer, as boas línguas de que o Justice deverá lançar trabalho novo, mas não tem nada confirmado até agora.

Bem, não serei capaz de desvendar tudo o que 2009 prepara, já que mesmo tendo 16 anos não consegui me desvendar e não é em um post que vou fazê-lo. Mas tenho certeza de uma coisa: eu vou curtir.
Sei lá!
Por DuDu Magalhães


Uma das coisas que menos gosto são as respostas automáticas. Mas não todas, há algumas que são interessantes, como a do messenger, pois elas são como um rodizio de pizza, ou seja, o ápice do meu convívio social. Quatro queijo, quatro direção, sul sem norte, caminho na contramão da anti fobia social. Será que sou tão estranho assim?

Gosto de ficar com o status "ausente". É que me vejo tão distante da padronização [anti] racional que se criaram, que até chego a pensar que sou de outro planeta. Quem sabe de Vênus, ou de Marte?. [Lembrei-me agora do sistema solar] você já viu o sistema solar? Já olhou para o céu com o coração numa noite especial, e sentiu-se tão pequeno perante a grandeza do desconhecido? Eu já, e foi um saco! Pois estava eu embriagado de emoção olhando para o céu, quando um pássaro defecou sobre a minha cabeça. ¬¬º

Se eu fosse de Vênus não teria este problema. Mas John Gray teima comigo, falando que sou de Marte, quer dizer, não só eu, mas todos os homens, ele também diz que as mulheres que são de Vênus. Será mesmo, hein? Só conferindo o livro Homens são de Marte, Mulheres são de Vênus, pois vale a pena, ops, vale a galinha toda.

E por falar em galinha, sabe aquele som que elas fazem? Parecem todos iguas, não? É meu caro, as galinhas são todas iguais, assim como uma nova leva de pessoas, pessoas automáticas, digo, pessoas que dão respostas automáticas.

Quantas vezes você fez uma pergunta para alguém e ouviu um "sei lá" tão automático e vagabundo que deu vontade de....? Quantos sim você já recebeu com o mesmo contexto? E quantas outras respostas automáticas você já recebeu? [ao meu ver, a pior de todas é o "foi mal", mas isto é assunto para um outro post]

Essas respostas fazem parte do cotidiano de grande parte da população economicamente ativa das "Lã Hauzis", frequentadoras do msn, orkut, e da net como um todo. Mas há uma vertente que diz que também há seres que desfrutam da não fobia social, e usufruem desta maravilha do mundo: a resposta automática.

Em um estudo recente apresentado pela OPI [Organização de pesquisas inúteis], demonstra que 60% de toda população intra-nertez, faz o uso desse artificio para se livrar de algum chato que não está inflando o seu ego. O estudo aponta também que em breve estaremos num elevado nível de atrofia mental, que já nem saberemos como se compreendem textos estranhos e aparentemente confuso como este que você acabou de ler. Qual a intenção do autor? Sei lá!

sábado, 27 de dezembro de 2008

Mais um ano sepassou...


Mais um ano se passou. Te faço um convite, venha refletir sobre este ano, vamos lá . . .

Seu ano foi bom? Você teve mais momentos bons do que momentos ruins? Mais períodos felizes do que tristes?
Pense, se foi bom, se foi feliz, comemore, vibre, 2009 pode ser muito melhor, só depende de nós mesmos, é só fazer por onde. E se foi ruim, não se preocupe, passou, 2008 acabou, seja otimista, tudo vai melhorar. Um novo tempo está chegando, o que ainda não está em ordem vai encontrar seu lugar exato na hora certa.

Resgatou velhas amizades deixadas pelo caminho por algum motivo que você desconhece?
Não sei bem o motivo pelo qual às vezes nos distanciamos de alguém que realmente foi importante em nossa vida em um certo período (ou em um período incerto). Talvez pela falta de tempo, talvez por alguma mudança inesperada, mas o que dizem é que nunca se esquece de quem realmente fez muita diferença em nossa vida. Raramente - ou quase nunca – dizemos a alguém: você é muito importante para mim, você fez muita diferença naquela situação, foi muito bom você estar comigo, ter te conhecido foi fundamental (precisamos praticar mais isso). Bem, reencontrar um velho amigo é muito bom, falar sobre a vida, sobre tudo que nos aconteceu enquanto estivemos longe, restaurar um elo de amizade e querer manter contato, voltar ao ponto em que paramos.

Praticou o perdão, ao menos tentou ativar sua capacidade de perdoar?
Perdoar faz muito bem a quem perdoa e a quem é perdoado, sentimo-nos mais leves, mais em paz quando perdoamos. Também é importante nos perdoar, somos humanos, também erramos, e erramos feio às vezes, com nós mesmos e com o próximo. Não leve tudo tão a sério, não leve tudo a ferro e fogo, não torne tudo tão pessoal, aprenda a relaxar,

Você fez novos amigos em 2008? Conheceu pessoas novas? Despiu-se de seus preconceitos para não julgar quem você ainda não conhece? Pode conhecer novos pontos de vista?
É só manter a mente aberta, não ser preconceituoso. Preconceito, a própria palavra já diz, um conceito que vem antes. Deixe a coisa fluir, conheça antes de formar uma opinião concreta e se for possível não julgue seus semelhantes. Talvez quando você aponta um dedo para criticar alguém já tenha quatro dedos apontados para você.

Mantenha-se tranqüilo, para quase tudo há uma solução ao menos razoável, crie artifícios que te proporcionem paz, entre em harmonia com o mundo, mas principalmente harmonize-se consigo mesmo, permita que o calor do verão invada seu ser, ILUMINE-SE AO SOL DE 2009.

Feliz Ano Novo!!!

Daniel A. S.

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Travesseiro

Nas altas horas da madrugada
surge em mim a saudade!
Lembranças de madrugadas passadas acordado.
Sinto seu perfumo, penso no seu corpo

Sinto a falta de seus beijos de seus abraços e carinhos.
Mas o que encontrei foi apenas o travesseiro...
dormi então abraçado com a lembrança de nós dois
Coincidência ou não a chuva fina começou a cair

Como na madrugada em que passamos acordados elevando o significado
da palavra Amor!
Quando acordei o sol sorriu para mim, lembrei quando você me disse
para eu colher sorrisos em todos os lugares que eu fosse

Assim saberia que seria você sorrindo para mim através da alma das pessoas!
Guardei essas palavras e no meu trabalho, na rua, poderia ver a sua imagem
refletida e sorrindo com o corpo e alma para mim
então senti o seu ser em meu! como nas poucas, mas

inesquecíveis madrugadas em que passamos juntos...
Essa noite o travesseiro me fez companhia em sua ausência,
mas em outro momento estaremos unidos.
E que a sua lembrança seja como um orvalho em minha pequenez


Por Pedro Junior

PS: Um Feliz Natal atrasado para todos e um Feliz Ano novo com muita saúde, paz e realizações para todos!!

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Então É Natal

Eu poderia estar matando, roubando ou até mesmo fazendo piada sem graça sobre peru em época de Natal. Mas cá estou eu, para falar das músicas de Natal, aquelas que nunca mudam e mesmo passando o ano, ainda cantamos Simone.

Desde que somos pequeninos e vamos à Igreja (nem que seja obrigado pelos pais), em época de Natal as músicas são as mesmas. Sempre ouvimos: “Jesus Cristo / Jesus Cristo / Jesus Cristo Eu Estou Aqui” do Roberto Carlos, ou então o ouvimos no Especial de Natal na Globo, o qual é o mesmo a séculos.

Ou o que dizer do clássico mundial: “Jingle Bell Rock”. A canção foi gravada em 1957, por Bobby Helms e já teve sua canção gravada por mais de 35 cantores diferentes, sem contar aqueles que só cantaram em shows e não gravaram. Sem contar que, no ano de 1983, a música bateu o recorde de canção mais executada em Natal.

Espero que tenham entendido a crítica do post de hoje, porque eu vou ficando por aqui, o Panettone me chama e ele é mais forte do que eu. Mas antes, juntos, demos as mãos e cantemos: “Então é natal, e o que você fez? / O ano termina, e nasce outra vez”. Sem Simone não há natal.

Feliz Natal!

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Pout-Pourri

Por Mateus Bracarense

O ano de 2008 já vai chegando aos seus finalmente e muita coisa rolou no mundo da música, apareceram bandas novas extremamente talentosas, ressurgiram bandas velhas e tantas outras continuaram fazendo sucesso. Como já é fim de ano, farei hoje um resumo das melhores bandas que se passaram pelos meus ouvidos.

No jazz, o ano foi de Adele, a garota de apenas 20 anos, mostrou bastante poder vocal em seu disco de estréia, 19. O som feito pela garota é doce, calmo e serve para relaxar muito bem. Já pegando uma ponta de jazz e desenvolvendo ao pop está Jamie Lidell, o moço já se apaixonou pela eletrônica, mas passou e agora caiu no jazz com variação ao soul. O seu quinto disco, Jim, foi lançado este ano e tem ótimas baladas como “Little Bit Of Feel Good”.

O pop este ano teve boas novas, como Katy Perry e Annie. A primeira beijou uma garota e contou para todo mundo e fez o maior sucesso este ano, já a segunda lançou o álbum Don’t Stop, com um potencial hit: “I Know UR Girlfriend Hates Me”. Já a eletrônica foi abençoada com Lady Gaga e Hadouken!. A primeira ganhou as festas com “Just Dance” e de lá não saiu mais. Hadouken! lançou o seu primeiro disco em maio deste ano e em todas as trance possíveis eles estão, já que o som produzido pelo grupo britânico tem batidas fortes e é ótimo para dançar.

O rock este ano não foi tão democrático, já que foi dominado por duas bandas: Paramore e Tókio Hotel. Embora eu não goste de nenhuma das duas bandas, sou obrigado a admitir que elas conquistaram os corações de muitos jovens. O mundo indie também sofreu modificações este ano e se destacaram no mundo alternativo: Fleet Foxes e Vampire Weekend. Para mais informações, vide a playlist.

2008 foi um bom ano para música, tivemos ótimos cantores que se destacaram pelo talento e espero que 2009 seja um ótimo para todos nós. Semana que vem eu volto com as músicas natalinas.


sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Olá hoje o meu post vai ser um pouco diferente, vou indicar alguns livros. Comecei a pouco tempo a trabalhar em uma livraria é sem dúvida para quem gosta de ler como eu algo fantástico, uma experiência ótima!

O Futuro da Humanidade (Augusto Cury)

O futuro da humanidade conta a trajetória de Marco Polo, um jovem estudante de medicina de espírito livre e aventureiro como o do navegador veneziano do século XIII, em quem seu pai se inspirou ao escolher seu nome.
Ao entrar na faculdade cheio de sonhos e expectativas, Marco Polo se vê diante de uma realidade dura e fria: a falta de respeito e sensibilidade dos professores em relação aos pacientes com transtornos psíquicos, que são marginalizados e tratados como se não tivessem identidade.

Indignado, o jovem desafia profissionais de renome internacional para provar que os pacientes com problemas psiquiátricos merecem mais atenção, respeito e dedicação - e menos remédios. Acreditando na força do diálogo e da psicologia, ele acaba causando uma verdadeira revolução nas mentes e nos corações das pessoas com quem convive.
Uma história de esperança e de luta contra as injustiças, este livro é a saga de um desbravador de sonhos, de um poeta da vida, de um homem disposto a correr todos os riscos em nome daquilo que ama e acredita.

Por Pedro Junior

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

AUTO-RETRATO

Inúmeras vezes a vaidade humana sobrepõe valores morais e éticos. Valores que muitas vezes disse serem fundamentais: honestidade, fraternidade, lealdade, e acima de tudo, moral.

Me tornei amante de meu próprio ego, e em seu nome fechei-me aos problemas da sociedade ao meu redor.

E por essa vaidade... Eu me desculpo!

Procurei culpados em um baile de máscaras, onde todas as paredes se revestem de espelhos que refletem apenas uma imagem, a imagem de minha própria alma. Várias vezes procurei desviar o olhar, mas os espelhos estavam por toda parte, não importava para onde eu olhasse.

Arranquei meus olhos e com eles a ancora de culpa que se prendia aos meus pés! Não posso mais chorar e me recuso a ver a alma daquelas pessoas.

Me recuso a ver aquilo que tenho me tornado!

Consciência, consciência, consciência... Por mil vezes quis mata-lá e agora sem meus olhos não mais derramarei lágrimas sobre meus erros.

Pois tudo isso nenhuma falta me fará, me vestirei novamente de minha mascara, feita de egoísmo e ambição, assim como todos naquele baile macabro.

Queimarei todas as fotos que restam e não deixarei que vejam minha verdadeira face disforme...

Pois nela estão gravados meus pecados.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Discípulos Da Virgem

É incontestável o fato de Madonna ser um ícone pop e uma das mulheres mais importantes para a história moderna. A loira é a cantora mais bem sucedida de todos os tempos, dita a moda e já vendeu milhares de discos. Falar da importância de Madonna já está muito comum e como a cantora nunca quis ser comum, vamos falar da influência dela sobre o mundo pop.

Grande parte das cantoras pop devem um bocado à Madonna, porque a mesma que deu a liberdade a mulher e toda a ousadia possível. É muito fácil reconhecer uma discípula de Madonna, darei alguns truques: se a mulher usar a sensualidade, dançar, tentar te seduzir e a música ainda ficar na sua cabeça... Não pense duas vezes, é uma filha de Madonna.

Cantoras que seguem o mesmo gênero da diva do pop são muitas, mas citemos aqui alguns exemplos: Christina Aguilera, Britney Spears, Lady Gaga, Katy Perry, Rihanna, Beyonce, Mariah Carey... Mas os exemplos não caem só sobre o sexo frágil, os muitos homens por aí devem a Material Girl as batidas pop, a lista pode começar com: Michael Jackson, Justin Timberlake, Timbaland, Kanye West e todos os cantores pop que você pensar.

Querendo ou não, Madonna e seu sutiã inconfundível fizeram história. Sexta-feira, a cantora desembarca aqui no Brasil e para quem for ao seu show, divirta-se com a virgem.


terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Proteção Eterna

As lágrimas que eu derramei por você
Formaram esse rio que hoje navego
Com o barco que tu me deste
No dia que quis percorrer todos os oceanos

Neles não tive prazer em estar
Mas no meu...
Estou conhecendo aos poucos
Com o sangue nos meus olhos

Vi o mundo de uma forma simples
Congelado pela frieza das pessoas
E a complexibilidade cotidiana
Que inspirava à vida, se foi

Então continuei navegando
Pelo mar das minhas tristezas
Onde encontrei belezas maquiadas
Levadas pelo vento ao mar

Homem ao mar?
Quem dera pudesse eu cair
Do barco que tu me destes para me proteger
Acabaria assim, com este meu viver

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Sonho & SONHO

Sonho da massa leve

SONHO da pele lisa

Sonho com recheio de creme

SONHO com recheio de amor

Sonho com açúcar

SONHO mais doce do mundo

Sonho de dar água na boca

SONHO que me desperta o desejo de amar

Sonho que ainda não provei

SONHO que ainda quero provar

Sonho muito caro    

SONHO quase que impossível...


Por Pedro Junior

*Semana que vem faço um post mais elabora. Um ótimo final semana para todos!                      

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Discutindo As Relações

Somos um bando de problemáticos, sim, somos. Cada indivíduo tem seus conflitos e suas “pedras no caminho”. Para os cantores, a situação é a mesma, o que muda é que as encrencas enfrentadas por eles acabam sendo discutidas nos programas da tarde. Vira um circo, uma lavação de roupa, na qual as vítimas nem podem falar.

Exemplos de cantores, talentosos ou não, que tem sua vida escancarada são muitos: Michael Jackson e suas plásticas, Britney e suas calçinhas, Lindsay Lohan e sua sexualidade... E quando o assunto é bebida ou drogas é um prato cheio para as revistas e programas da Sonia Abrão. Cantores como Amy Winehouse, Keith Richards (guitarrista do Rolling Stones), e Eminem e tantos outros viraram alvo de todos tablóides.

Melhor ainda, para as revistas, é quando termina em tragédia. Bob Marley, Cássia Eller, Janis Joplin, Sid Vicious (vocalista do Sex Pistols), Kurt Cobain e tantos outros cantores que tinham envolvimento com drogas e, infelizmente, morreram. Aliás, as drogas são os produtos preferidos dos jornalistas, fazem o encaixe perfeito: uma pessoa com um problema e não sabe se controlar, então vai ao Superpop, conta os seus problemas e dá ibope.

É quase patético ver pessoas irem a algum lugar somente para aparecer. Da mesma maneira que é tosco ver a imprensa se matando para lucrar com a vida alheia. Falo tudo isso porque ontem foi o aniversário da Britney Spears, a rainha das revistas sensacionalistas. Parabéns para ela, que já rendeu várias revistas, vários programas e inclusive este post.


terça-feira, 2 de dezembro de 2008

TEMPO DE BRINCAR



Percorro o tempo com sutileza
Encontro-te frente ao mar
Resguardando sua beleza
Pura
Como o sol leve da manhã
Perigosa
Como o gosto da maçã
Tentadora
Como seu olhar de menina moça
Vendo-me pelos rastros do vento
Apenas brincando...
Com o tempo

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Hoje vou fazar uma coisa que desde os tempos Eloá eu não faço: Análise da cobertura da imprensa de algum caso.
O tema agendado pela mídia dessa vez é o desastre natural no estado de Santa Catarina.

A Veja traz em sua capa o drama de uma menina de três anos que sofreu com os desabamentos no estado. A Época trouxe em sua edição possíveis causas para a catastofre. Dando corpo a uma tentativa de jornalismo interpretativo - aquele que tenta "traduzir" uma coisa complicada numa coisa mais simples. A segunda revista atribui as causas dos acidentes à intervenção humana na natureza, seja desmatando, seja construindo casas em locais perigosos. A Veja deu mais enfoque em histórias pessoais - coisa normal de se fazer numa revista como ela, enfoca em histórias pessoas, ataca o governo, espetaculariza ao máximo para vender mais.

Saindo do jornalismo impresso e indo para o meio televisivo, ao meu ver, existe uma construção social maior - na medida em que os jornais da TV aberta tentam ao máximo sensibilizar as pessoas a ajudarem as pessoas atingidas pelos desastres naturais. Isso falo nos verdadeiros jornais, porque Ana Maria Braga - como sempre - se sentiu no direito de também ser jornalista, mesmo não sendo, para ir para o estado de Santa Catarina, trajando roupa rajada de soldado, espetaculirazando a porra toda e fazendo de uma tragédia um espetáculo de clown. Eu bem me lembro no caso Eloá quando ela especulava que a garota estava bem, estava até sorrindo na janela do apartamento. Além é claro de Datena, com seus super-elogios e ataques histéricos a cada grão de terra movido.

Vamos ver até onde vai dar toda essa cobertura. Datena, Ana Maria Braga e a Rede Record continua na mesma linha de sempre - correndo atrás de mais IBOPE. A Globo, por incrível que apreça, está tentando ajudar com divulgações constantes dos casos de doações vindas de outros estados Brasil e colocando o número da conta para doações sempre no ar.

PS: Não riam dos escorregões dos jornalistas - é uma profissão árdua, difícil e mal remunerada! (muitos risos)

sábado, 29 de novembro de 2008

Saudade


Há horas em que uma certa nostalgia paira no ar, remetendo nossos pensamentos a doces lembranças de momentos felizes ou a alguém querido que está longe e essa saudade ora nos alegra ora nos entristece um pouco, chegando a doer as vezes.
Várias ocasiões ficam guardadas na memória para sempre, foram tempos tão afáveis que volta e meia nos pegamos a recordá-los com muito carinho, alegria e com certo pesar, pois sabemos que são momentos que não voltarão mais, são situações que não conseguiremos criar novamente, ficando apenas a lembrança, a saudade.
Quando um bom amigo precisa buscar novas oportunidades em outra cidade, não demora muito para começarmos a sentir falta das conversas animadas, das confidências, das brincadeiras sarcásticas, do papo furado acompanhado de uma cerveja gelada e logo vem a ânsia de revê-lo e matar essa saudade. Pior ainda é quando quem se encontra nessa situação é nosso grande amor, a saudade nos consome, nos atormenta, dói no peito e só deixa de machucar-nos quando enfim temos esse ser tão amado em nossos braços novamente, beijando, acariciando e tudo mais...
Outras vezes quem se muda somos nós, deixando família, parentes, amigos e lugares que gostamos para trás, e sentimos muita falta de tudo e de todos, dos locais aonde íamos em nossa cidade, das pessoas que fazíamos questão de encontrar. A princípio esta situação é muito difícil, mas o tempo se encarrega de amenizar as coisas e ajuda a nos adaptar a novas realidades.
Ah! A distancia, o tempo... Seria bom mesmo se inventassem logo uma espécie de teletransporte acessível a todos para acabar de uma vez com essa história de saudade...

Daniel A. S.

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

A acepção das palavras

Todos os dias fazemos uso das palavras como um instrumento de comunicação “fácil” e quase sempre com os sentidos sossegados. Como se sempre estivessem com seus fluxos claros e prontos para nós.

No entanto se as palavras nos aparecessem sempre prontas e com uma única definição e objetividade. Não sei se seria possível haver as poesias, as controvérsias, o duplo sentido, a mentira e tantos outros artifícios e artimanhas que faz com que seja plausível a apresentação da arte e de outras manifestações com maior expressividade.

Falando (escrevendo) de arte, me lembro de ter lido em Fernando Pessoa (Autopsicografia) “O poeta é um fingidor / Fingi tão completamente / Que chega a fingir que é dor / A dor deveras sente”. O artista por intermédio das palavras consegue expressar “A ferida que dói e não se sente”.

É nesse contexto que o poeta, artista de forma geral consegue fazer algo fascinante que eu prefiro classificar como uma fantástica brincadeira. A brincadeira com as palavras. Ora brinca que sente dor sem sentir, ora brinca que sente alegria sem sentir; Este o palhaço faz com tanta propriedade.

Somente para uma contextualização vou fazer uso do mesmo exemplo que Marilena Chauí dá sobre isso em seu livro convite à filosofia.

Na tragédia Otelo de Shakespeare. O mouro Otelo apaixonado perdidamente por sua jovem esposa Desdêmona, acaba por assassiná-la porque foi convencido por Iago de que ela o traía. Iago, invejoso dos cargos que Otelo daria a outro membro de sua corte inventou a traição de Desdêmona, mentiu para Otelo e este tomando a mentira pela verdade destruiu a pessoa amada, que morreu afirmando sua inocência. Para construir a mentira. Iago despertou em Otelo o ciúme caluniando Desdêmona. Usou várias armadilhas, mas sobretudo usou a linguagem, isto é, palavras falsas que envenenaram o espírito de Otelo.

Essa postagem ficou um pouco grande, mas acredito que esteja simples como sempre procuro escrever. Gostaria de parabenizar todos os blogueiros que conseguem “brincar com as palavras” alguns que tenho acompanho e sentido uma melhora em seus textos significantemente.

E até sexta que vem se Deus quiser, e um ótimo final de semana para todos

Por Pedro Junior

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Reescreva...


Quero gritar todos os meus pensamentos espalhados
Pois não existe outra prova de que eu existo
O futuro que eu devia ter agarrado
Se divide entre "dignidade" e "liberdade"
Quero apagar essa imagem distorcida
Pois eu conhecerei meu limite ali
Não existem datas no calendário do último ano
Na imagem dessa minha confiança exagerada

Apague e reescreva
Essa grande fantasia boba
Reviva
A sensação inesquecível de existir
Reescreva
A imaginação sem sentido
Se entregue de corpo e alma
A força que te guia

Me arrependo de me livrar de todos os meus sentimentos
Depois de perceber que eu não sou nada, eu choro
Um coração triste
Uma mentira

Apague e reescreva
Essa grande fantasia boba
Reviva
A sensação inesquecível de existir
Reescreva
A imaginação sem sentido
Se entregue de corpo e alma
A força que te guia
...

Asian Kung Fu Generation

terça-feira, 25 de novembro de 2008

À Procura Da Escrita Perfeita


Às vezes, eu fico impressionado com a falta de criatividade de alguns cantores. Pensa comigo, quando falta alguma inspiração, a primeira coisa a fazer é usar a mesma fórmula que já deu sucesso. Isso é bastante comum no cenário musical, por exemplo, você pode me dizer em quantas músicas do My Chemical Romance há a palavra “black” (preto) ou o sinônimo “dark”? Nada menos que incríveis dezesseis canções, isso porque o My Chemical tem apenas três álbuns lançados.

Ou o que dizer do Marcelo D2 e sua interminável “busca pela batida perfeita”? A frase já rendeu título de música e está presente em várias faixas do rapper, inclusive no mais novo single “Desabafo”.

Mas não é só nas letras de música que se encontra semelhanças não... O AC/DC lançou um consagrado álbum chamado Back In Black em 1980 e este ano lançou o décimo quinto trabalho da banca, o Black Ice. Não acho nem necessário falar das tantas músicas começadas com “rock” do grupo australiano.

Ou até mesmo as batidinhas são as mesmas, com apenas um acorde você consegue cantar quase todas as músicas de axé. O que eu estou falando não é de plágio, deixo isso bem claro, mas é a falta de inovação.

O cenário musical pode até estar mudando com a consolidação de boas bandas novas, como The Ting Tings, Vampire Weekend e outras bandas que respiram um ar puro... Mas deixa para lá, eu devo estar viajando. Enquanto eu falo besteira. nego vai se matando, então...



sábado, 22 de novembro de 2008

Desejando algo sério


Bares e boates abertos, todos festejam a chegada de mais uma noite, alguns com o simples objetivo de se divertir, de rever os amigos, ter uma conversa bem animada com eles, ouvir música agradável e beber um pouco, outros com o íntimo desejo de encontrar alguém que faça seu coração bater de forma diferente, que torne a respiração mais ofegante, sim, essas pessoas esperam encontrar uma paixão verdadeira, muitas estão carentes de amor, muita gente quer um relacionamento sério.
Quantas vezes ouvi esta frase este ano: Eu gostaria de um relacionamento sério, já perdi a conta, afinal quem não deseja ter alguém que seja dedicado, que dê carinho, a quem dar carinho, que ligue a noite, que faça companhia pelo simples fato de também gostar de sua presença, que assista a filmes abraçadinho comendo pipoca, aquele que vai envelhecer junto a você, e mesmo quando estiverem velhinhos e enrugados vai continuar te achando uma pessoa linda, e quando o peso do tempo se abater sobre seus ombros e deixa-lo com uma saúde não tão vigorosa, vai cuidar de você com o mesmo amor e ternura de sempre?
Homens e mulheres, realizados profissionalmente ou não, em um mundo cada vez mais consumista, compram roupas, sapatos, jóias, carros, tudo que os faça sentir mais confiantes, para quê? Para irem à procura dos amores de suas vidas. Às vezes se esquecem de algo muito importante, beleza, boa aparência, esmero ao se vestir atrai sim – mas o que importa mesmo é o caráter, a bondade, o conhecimento de mundo, o ponto de vista que cada um tem sobre tudo, isso sim é que torna alguém interessante, quando uma pessoa se mostra, fala sobre a própria vida, permite que se conheça sua história particular e única, expõe idéias novas sobre velhos assuntos, atribui valor a si mesmo.
O desejo que muitas pessoas esperam suprir é encontrar esse alguém bom caráter, interessante, cheio de idéias e pontos de vista, que se tornem parte da história particular delas, que as ame, que elas amem, que seja um pouco parecidos com elas, que realmente se importem com a felicidade delas, que se esforcem para fazê-las felizes, elas não esperam alguém perfeito, nem tão pouco uma vida sem tempestades, só querem alguém que proporcionem e que elas também possam proporcionar o tão sonhado final feliz.


Daniel A. S.


sexta-feira, 21 de novembro de 2008

ELAS PREFEREM...

Implicância ou não, é comum ouvirmos que a primeira qualidade que as mulheres analisam em um homem é seu saldo bancário. Do ponto de vista antropológico, isso não é mera falácia. Mulheres gostam, sim, de homens bem sucedidos. Mas o anseio pela beleza também é um componente importante - mas não somente nos momentos em que sentimos aquele frio no estômago ao trocarmos olhares com um desconhecido. E não é preciso ser um grande especialista em biologia evolutiva para entendermos essas relações. Fêmeas de todas as espécies, afirmam os pesquisadores e comprova o bom senso, são programadas para buscar o macho provedor e reprodutor de qualidade. No caso humano, esses atributos alcançam hoje sua mais perfeita exemplificação sob uma boa conta bancária e uma bela estampa, como o Brad Pitt por exemplo.

Deixe-me explicar melhor esses porquês.

Homens ricos atraem as mulheres, basicamente, por que essa condição representa estrategicamente, uma opção mais segura e confortável para os filhos. "Todos os animais buscam parceiros que os ajudem em sua batalha por uma reprodução bem-sucedida. As mulheres melhoram suas chances de sucesso juntando forças com homens de status social elevado", diz o cientista americano Terry Burnham e seu colega, Jay Phelan no livro A Culpa É da Genética.

Já a beleza enquadra-se em um outro fator que aumenta as chances de se atrair boas parceiras, sendo associada à saúde e à capacidade de reprodução, pois além de manter a cria protegida, é preciso que elas sejam saúdaveis. Essas escolhas são, em parte, inconsciente. O engraçado é que em um estudo, realizada na Espanha, 66 mulheres selecionaram fotos de homens que consideraram bonitos. Coletado o sêmen desses, descobriu-se que os espermatozóides desses eram também mais rápidos do que os outros. A natureza também preferiria os bonitos?

Mas o que é essa "beleza" de que tanto falamos?

Por mais incrível que pareça, essa avaliação pouco tem de subjetiva. A forma de beleza, destrinchada desde os tempo mais antigos, é quase matemática, e seu principal fundamento está na harmonia dos traços - mas precisamente, na simetria deles. A apresentação de medidas quase idênticas dos dois lados do corpo e da face é irresistivelmente desejável porque, do ponto de vista antropológico, a simetria é tido como um sinal de saúde.

A ciência já comprovou que animais simétricos apresentam crescimento maior que a média, são mais férteis e sobrevivem por mais tempo. No caso dos homens, tudo indica que são também melhores amantes. Comprovou-se ainda que os homens simétricos (leia-se bonitos) iniciam a vida sexual três a quatro anos antes dos outros, têm mais que o dobro de parceiras sexuais que a média e são mais infiéis que os assimétricos (leia-se feios ou não tão bonitos). Não que bonitões carreguem o gene da traição. "Eles são os preferidos e por isso recebem mais ofertas que os outros", explica a psicóloga Nancy Etcoff.

Até pouco tempo acreditava-se que outro componente importante da beleza, eram os chamados sinais de gênero - no caso dos homens, tido como todas as características que acentuem a virilidade. Maxilares proeminentes, sobrancelhas espessas e voz grossa, por exemplo, atrairiam mulheres por que são indício da presença de um nível mais elevado de testosterona no organismo - o que na leitura evolutiva, significa mais espermatozóides e maiores chances de perpetuação da espécie.
Mas um estudo realizado pelo psicólogo escocês David Perrett, Universidade de St. Andrews, sugere que a experiência acumulada e o meio ambiente também têm sua influência sobre os imperativos biológicos. Na pesquisa, homens e mulheres do Japão e da Escócia, com idade entre 19 e 23 anos, foram convidados a analisar uma série de fotos de rostos do sexo oposto. Os retratos foram manipulados digitalmente de forma que os masculinos tivessem ressaltados, em maior ou menor grau, traços associados à feminilidade – como lábios cheios e rosto mais alongado. Os rostos femininos tiveram as sobrancelhas engrossadas e mais distanciadas para ganhar ares ligeiramente masculinizados.

Entre os homens, o resultado não trouxe surpresa. A maioria dos entrevistados achou mais bonitos os rostos das mulheres que continuaram parecendo bastante femininas. Já as mulheres preferiram os homens com feições mais suavizadas. As entrevistadas, constataram os pesquisadores, associavam esse tipo de imagem masculina a qualidades como "sensibilidade", "honestidade" e "dedicação paterna".

Conclusão evidente: o mundo mudou, as mulheres também, e hoje um exímio caçador de javalis talvez não valha tanto quanto um marido que leve as crianças à escola. Ou então é só mais um pretexto para olhar mais, e demoradamente, uma foto do Brad Pitt. Por exemplo.


Na próxima quinta-feira, as explicações Darwinianas para isso, até!

...

Obs.:

- Desculpem a demora, achei que ontem fosse quarta (LOL?).

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Apartheid

Quero viver meu mundinho feliz, onde tinha uma árvore no quintal de casa, um cachorro para brincar, uma família contente, comida na mesa e uma escrava negra para dar chicotadas. Algum problema? Isso era muito comum até o imperialismo. Hoje eu até aceito um escravo moreno ou mulato. É porque eu sou muito bonzinho.

De tempos em tempos, muita coisa muda, às vezes, para melhor. Ou nem tanto. Já se foi a época em que podia culpar a escravidão pelo fracasso dos negros. Tem muito cantor negro por aí que se deu muito bem. De início temos Chuck Berry, o roqueiro dos anos 50 que começou a fazer rock antes mesmo de Elvis. Ou Aretha Franklin, diva do soul.

Aliás, sempre tento entender uma coisa: existe som de negro ou é tudo um estereótipo criado? Eu posso cantar reggae, funk, rap, hip hop, soul, jazz ou deixo isso para quem tem mais melanina na pelo do que eu? Convenhamos que cor não se faz mais cantor. Tem muito “branquelo” aí cantando ritmos criados em negra, posso citar o Bonde do Role, Beastie Boys, Eminem e todos os roqueiros do mundo, já que o estilo nasceu nas periferias americanas.

Da mesma forma que a cultura negra foi “invadida”, a branca também. Na década de 50 só se aceitavam cantores pop de cor branca, agora temos pessoas como Santogold, Michael Jackson (no início de carreira, agora não conta.), Mariah Carey, Beyonce, Rihanna e outros artistas.

Segregação racial definitivamente não faz mais parte do contexto de um mundo moderno. Não faz mais parte do mercado fonográfico moderno. Não faz parte mais de mim. Eu ainda quero o meu mundinho feliz, onde tinha uma árvore no quintal de casa, um cachorro para brincar, uma família contente, comida na mesa e uma escrava branca para dar chicotadas.


segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Bia!

Há 8 meses eu me mudei para Cachoeira - cidade de intenso calor no Reconcâvo da Bahia. A vontade de fazer o curso dos meus sonhos - e agora da minha realidade - me fez cortar o cordão umbilical que me ligava a minha mãe. Mas, esses dias, pensei quantas pessoas "nativas" de Cachoeira eu conheço? E pude perceber que quase ninguém. A maioria dos meus colegas e amigos se restringe as pessoas da faculdade.
Moro numa casa rodiado de vizinhos que só conheço nada mais do que os tons das suas vozes em breves cumprimentos corriqueiros. Bom dia! Boa tarde! Boa noite! Mas um vizinho, ou melhor uma mini-vizinha me chamou atenção. Bia.
Bem cedinho, acordava aos berros: - Biiiiiiaaaaaa, vá tomar banho!! - Biaaaaaaaa, venha tomar café! - Biaaaaa, você uma menina de 5 anos ainda faz uma coisa dessa!
A menininha me pareceu uma diabinha encarnada em pele de criança.
Chegou ao ponto de eu saber toda a rotina da casa de Bia - uma casa que ficava no fundo da minha e que eu nem sei onde fica. Bia tem um irmão, Armadinho. O nome de seu pai era Jorge e o nome de sua mãe eu nunca descobri - acho que só ela fala naquela casa.
Vocês já devem está pensando "Que menino fofoqueiro! Que absurdo". O pior que não! Eu sou obrigado a ouvir tudo isso. Não tem como parar de ouvir. Salta aos meus ouvidos.
Na terça passada acordei anormalmente. Não vi barulhos no fundo da casa. A movimentação matinal de todos os dias não era a mesma. O amigo que mora comigo comentou: - Acho que o povo dai do fundo se mudou.
Na quarta, ocorreu o mesmo. Na quinta. Na sexta. E hoje vi novos inquilinos chegarem. Bia foi embora e eu não a conheci.
"Mas que diabos isso tem a ver comigo?" Muitos perguntarão. Respondo-lhes:
A violência vista na sociedade atual, além do egocentrismo crônico, têm levado as pessoas a se enclausurarem cada vez mais nos seus lares, colaborando para a destruição de vários elos que ocorrem no contexto de vizinhança e relações inter-pessoais. Vemos os vidros fechados, as grades no portão, mas por fim, você não poderá proteger-se de si mesmo, de suas dualidades e de sua identidade. Isso até me remeteu até a um documentário que assisti "Edifício Master" de Eduardo Coutinho. Muito bom para quem gosta de analisar a sociedade urbana de uma maneira diferente e descontraída.
Vamos ver até quantos Bias vão entrar e sair de nossas vidas e continuaremos alheios se enclausurando cada vez mais em nossas comunas.

domingo, 16 de novembro de 2008

Apresentação


BAÚ CULTURAL

Olá, queridos leitores!

Para aqueles que ainda não me conhecem, eu sou a Karina, antiga contribuidora do Visão Contrária, que retorna agora com um novo papel... Trazer algumas informações culturais para vocês! Uma área pela qual eu sou apaixonada, e sinto muito prazer em comentar, discutir [no bom sentido :) ], enfim, me sinto em casa! A coluna a qual me dedicarei é essa relacionada acima, "Baú Cultural".

Espero contar com a sua presença aos domingos!

Até breve!

sábado, 15 de novembro de 2008

Músicas

Algumas músicas são mais do que simples acordes e palavras, elas nos lembram momentos afáveis. Certas canções nos fazem pensar na vida, outras relaxam – permitindo que não pensemos em nada.
É comum estarmos com casais de amigos e quando toca uma melodia – eles logo dizem – Olha meu bem, está tocando a nossa música! – é, essa canção de alguma forma tem a ver com o relacionamento deles, os marcou. De repente ouvimos uns acordes que nos chamam atenção, eles fizeram parte da nossa história com um amor antigo e ao escutamos aquelas notas as recordações vem à memória, é inevitável.
Algumas músicas nos levam a pensar no que sua letra diz e/ou em nossa própria vida, no que queremos e no que não desejamos para nós, mas há momentos em que escolhemos uma canção que nos permite relaxar, para simplesmente esquecer de tudo. . .
Músicas divertem, distraem, trazem o passado ao pensamento, marcam momentos. Me diz: Qual sua música preferida? (deixe um comentário dizendo)

Daniel A. S.

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Eu quero ser

Eu quero ser a poesia que + toca o seu coração

Eu quero ser a música que + te faz feliz

Eu quero ser o sol para te dar energia

Eu quero ser a sua esperança

Eu quero ser o seu brinquedo preferido

Eu quero ser o lugar onde você + gosta de ir

Eu quero ser as palavras que você + gosta de ler

Eu quero ser o fogo que te queima, mas não dói

Eu quero ser o seu doce + gostoso

Eu quero estar no seu cantinho preferido

Eu quero estar no seu apartamento

Eu quero estar no seu aniversário

Eu quero estar na sua mente

Eu quero estar ao seu lado quando você menos merecer

Eu quero mergulhar em seus olhos

Pra sentir o seu corpo junto ao meu corpo

Em uma perfeita sintonia

Eu quero entrar na sua vida pra ficar!

E quando você menos imaginar; lá eu vou estar


Por Pedro Junior


Dedico esse modesto poema a uma pessoa especial que me inspirou a traçar essas palavras, e saiba que eu te adoro.